Pesquisadores da UFMA estudam a utilização da Xanana no tratamento do HIV

O HIV (Vírus da Imunodeficiência Adquirida) tem nova opção de tratamento. O Departamento de Farmácia da UFMA desenvolve há 18 anos um fitoterápico à base da planta Chanana para utilização em soropositivos.

O tratamento consiste na ingestão da tintura da Tunera guynensis L. (nomenclatura científica da chanana) pelos pacientes atingidos pelo vírus. “A planta tem propriedades energéticas.

Desta forma, o corpo, enfraquecido pela ação do vírus, se tonifica e reage melhor no combate às infecções oportunistas em conjunto com os medicamentos alopáticos (de base química)”, explica a pesquisadora.

Um grupo formado por 33 pessoas recebe o tratamento a base dos medicamentos fitoterápicos.

Cada um consome mensalmente em média 300ml da tintura. “Nós atendemos soropositivos de todas as regiões da grande São Luis à procura de atedimento.

A questão etária também é muito abrangente. Nossa paciente mais nova possui apenas 17 anos e o mais velho, 58”.

A pesquisa passou a ser desenvolvida na UFMA em 1990 e, desde então, vem alcançando avanços significativos no tratamento dos pacientes soropositivos. “Ao trazer a pesquisa para a Universidade Federal do Maranhão, nós percebemos que a tintura era mais eficaz que o chá da planta, utilizado na terapia de pacientes de Campinas.

A tintura tem a vantagem de permanecer própria para consumo por um período de um ano, ao contrário do chá, que logo evapora”, complementa a pesquisadora, que lembra que este e outros fitoterápicos desenvolvidos pela Universidade estão ao alcance de todos os interessados, bastando que estes se cadastrem junto ao Departamento de Farmácia da Universidade.

Publicado em: 17/09/2014