Equipe da Fitovida e Mapric iniciam projeto Cgen em Cerro Corá/RN

Na última quinta-feira(05), equipe técnica da fitovida e da empresa Mapric estiveram na comunidade de Santa Clara II VilaB em Cerro Corá/RN para dar início as atividades do projeto CGEN(Conselho de Gestão do Patrimônio Genético). O projeto visa o desenvolvimento de produtos da sócio biodiversidade fazendo a repartição de benefícios entre a comunidade de Santa Clara II e a empresa Mapric. 

 

Fizeram parte da equipe técnica da viagem Luiz Gustavo Matheus, diretor técnico da empresa Mapric, Jordan Medeiros, técnico da Fitovida em agroecologia, Jaerton de Sousa Júnior, Botânico da Fitovida. Já os representantes da comunidade local foram o professor Manoel Marcelino e o presidente da associação de moradores Cícero.

 

Durante a visita, a equipe técnica informou que o projeto foi oficialmente aprovado e publicado em Diário Oficial. Foi realizada apresentação, para os participantes do projeto, da lista de espécies aprovadas pelo CGEN que poderão trabalhadas na localidade. A lista foi avaliada pelos técnicos e representantes da comunidade com o objetivo de identificar as plantas que melhor se adaptariam na região, definindo assim um calendário adequado atividades. 

 

O próximo passo, após esta escolha das espécies a serem trabalhadas, é iniciar o processo de plantio de viveiros e, posteriormente, em maior escala, para consumo da empresa Mapric, fazendo a viabilização da cadeia produtiva. 

 

Além disso, foram avaliadas a ocorrência na região de espécies que a Mapric possa utilizar de forma imediata. Foram realizadas orientações sobre como será feita a definição de preço e posteriormente a Repartição de Benefícios após a comercialização do produto fabricado pela Mapric.

 

Luiz Gustavo informou que existe uma demanda de utilização comercial da Aroeira. No entanto, como a Aroeira demora a se desenvolver e a empresa possui demanda em curto prazo, foi combinado que a comunidade irá produzir um cultivo teste, em pequena quantidade, de Arnica (cravo de urubu). Para tanto, a equipe técnica da Fitovida ficou responsável por planejar o cultivo (área, material, orçamento, etc.). Além disso, a associação também produzirá amostras secas de folhas de Manga e de Xanana para serem testadas e avaliadas em relação ao seu potencial econômico. Paralelamente, ficou acertado de que os técnicos da ONG irão construir um viveiro de mudas nativas, a começar pela Aroeira, para que ela seja cultivada e em longo prazo seja utilizada como fonte de renda com a extração de sua matéria prima.

 

Em relação à repartição de benefícios, os responsáveis pela associação comunitária se comprometeram a realizar uma assembleia com todos os associados, a fim de prepararem a instituição para receber os benefícios, como por exemplo, criarem uma conta no banco, bem como registrarem a presença e o compromisso dos associados em ata.

 

Encerrando as atividades foram distribuídas duas mudas de Arnica para os representantes da associação plantarem em suas casas. Além disso, foram agendadas as realizações de viagens de campos da Fitovida para andamento dos trabalhos e uma nova visita de todo o grupo juntamente com a Mapric para o próximo dia 28 de março.

Publicado em: 09/02/2015